Recent Posts

Reciclar num apartamento pequeno

Reciclar num apartamento pequeno

Desde pequenina queria reciclar em casa. Chateava-me muitas vezes com a minha mãe e perguntava-lhe: mas porquê que não reciclamos? E ela respondia: “os ecopontos são muito longe, temos de ir de carro até lá, não vou andar a fazer isso”. E eu, como não […]

Artesanato Sem Tema – Episódio 3

Artesanato Sem Tema – Episódio 3

Vídeo Notas deste episódio Tricot Men’s Interchangeable Scarves – Lorna Miser Fio “Merino Extra” – Valeria di Roma   Costura Guardanapos de pano – 9 Minute Cloth Napkins Tutorial Sacos reutilizáveis para Refood – ler mais aqui – Post do grupo de facebook “Cose+” Apanha-Linhas […]

Dia da Terra – Mudar gradualmente para um Planeta Melhor

Dia da Terra – Mudar gradualmente para um Planeta Melhor

Hoje é o “Dia da Terra”, um dia para pensarmos nos nossos hábitos, um dia para pensar no que podemos fazemos melhor no nosso dia-a-dia para ajudar o planeta. Acredito que pouco a pouco as pessoas vão tendo maior consciência do que a poluição está a fazer ao nosso planeta, principalmente porque já o sentimos, já não é algo só teórico. Desde quando estão 30 graus em Outubro? Para não falar da seca que Portugal tem vindo a passar nos últimos tempos, que felizmente estas chuvas do início do ano melhoraram, pelo menos por agora.

E faz parte de nós, fazer o que pudermos para que a balança caia para o outro lado. No dia de hoje, não falta informação de o que fazer para ser mais amigo do ambiente por isso eu quero escrever algo de diferente, algo que é importante dizer.

Faz o teu melhor e não tentes fazer tudo de uma vez.

 

Esta frase pode ser usada para muita coisa mas é importante referi-la neste contexto. Há muita coisa fundamentalista na Internet e é difícil uma pessoa não sentir-se intimidada pela quantidade de mudanças na rotina que devem acontecer para conseguir ser “zero-waste”. É um tema que me apela mas para mim deveríamos chamá-lo “lower waste”, zero é uma palavra tão sim-ou-não, algo impossível de atingir para muitas pessoas, incluindo eu. Não vou dizer que não gosto da ideia, adoro, mas para algumas pessoas pode ser intimidante. “Como vou fazer isto tudo?” e isso depois torna-se “Mais vale não fazer nada”.

 

Devemos sim fazer mudanças, mas adequadas ao nosso estilo de vida, se uma pessoa não tem tempo mudar radicalmente para começar a fazer a sua própria granola, o seu próprio pão, as suas próprias bolachas, etc, será algo efémero porque rapidamente essa motivação inicial esgota-se. Uma pessoa com dificuldades financeiras não vai conseguir comprar a granel, visto que muitas das lojas que vendem a granel são muito caras. “Nem tanto ao mar, nem tanto à terra”, já o ditado dizia.

Eis o que acredito e que funciona comigo: fazer mudanças graduais e com tempo. Por exemplo, “este mês vou começar a reciclar” ou “este mês levarei sempre uma saca de pão quando for à padaria” e não “este mês serei completamente zero waste”. Não será impossível cumprir isso claro, mas qual terá maior probabilidade de se propagar para o resto do ano? Daí achar que o desafio da Páscoa da Quercus ter sido tão pouco apelativo às pessoas, 40 dias sem plástico? Temos de ser realistas, em 2018, isto não é uma realidade possível para maior parte dos Portugueses. Não devemos começar assim, talvez seria melhor “Uma semana sem plástico” para que qualquer Português pudesse entender quão difícil é atingir isso no seu quotidiano. 40 dias intimida logo as pessoas, logo a adesão é muito mais pequena do que poderia ser.

 

Por isso, hoje convido-vos a refletir sobre isto, numa pequena mudança que podem fazer para ajudar o nosso planeta Terra, o nosso Lar, por mais insignificante que possa parecer na escala mundial. E, se neste momento já fazem tudo o que podem, felicitem-se, não pensem em tudo aquilo que ainda não conseguem fazer, não ponham mais pressão em vocês próprios, porque essa pressão poderá potencialmente reverter todo o vosso caminho até agora.

Sacos reutilizáveis feitos com camisas velhas

Sacos reutilizáveis feitos com camisas velhas

Como sabem tenho costurado muito ultimamente, quando digo muito é mais que o normal, muito para mim, mas talvez pouco para pessoas que gostam muito de costurar. Tem-me agradado costurar e criar em geral, tem sido algo fulcral este ano. Desde que comecei a trabalhar, […]

Dia Nacional dos Centros Históricos – Workshop de Ilustração

Dia Nacional dos Centros Históricos – Workshop de Ilustração

Dia Nacional dos Centros Históricos? Já vivo no Porto há 5 anos e ainda não tinha usufruído deste dia, é uma vergonha! Ou estava na Nova Zelândia, ou estava em casa dos meus pais, ou estava preguiçosa… Mas decidi que este ano não iria falhar! […]

Tudo o que comi no Japão – Parte 1

Tudo o que comi no Japão – Parte 1

Tirei uma foto de quase tudo o que comi no Japão e achei que era algo interessante para partilhar.

Adoroooo comida e por vezes era complicado decidir onde ir, tanto sítio por onde escolher! Talvez isto seja um bom guia para quem tiver esse dilema. Estou a excluir o McDonald’s da lista, é verdade fomos lá! Foi um dia muito difícil e estávamos cheios de fome e super cansados, uma combinação perfeita para ir a esta cadeia.

Vamos lá à lista sem o McDonald’s :D!

Ramen

Ramen

A nossa primeira refeição no Japão foi um clássico! RAMEN! Esqueci-me do nome mas consegui encontrar o restaurante no google maps, eis a morada: 〒160-0022 Tōkyō-to, Shinjuku-ku, Shinjuku, 3 Chome−21, 3 丁目 21−3.
Foi muito bom, nada parecido com os que tinha provado até agora! Para ser sincera, era muito pesado e o meu estômago teve a digerir a refeição por várias horas mas estava delicioso. O restaurante parece ser uma cadeia visto que vimos o menu igual noutros sítios. Não fomos por nenhuma recomendação, simplesmente procurámos o primeiro restaurante que não tinha fila e que tinha relativamente bom aspecto.

Melon Pan

Melon pan

“Pão de melão”, é engraçado o nome certo? Principalmente quando se descobre que melão não é um dos ingredientes. É um pão doce com uma camada fina crocante de bolacha por cima. É algo que estávamos super curiosos para provar pois vê-se montes de personagens em animes a ver isto e a comentar quão bom é! Por acaso, estávamos a passear em Asakusa e vimos uma fila enorme e virámos-nos um para o outro “Vamos ver o que está toda a gente a comer?”, e adivinharam! Era melon pan e estava quentinho! Era maravilhoso e foi o doce que provei no Japão que mais gostei. Nós fomos aqui, caso decidam ir provar.

Takoyaki

Takoyaki

Esta é uma daquelas coisas que gostamos bastante mas acabámos por comer apenas uma vez, a verdade é que é relativamente fácil de provar isto fora do Japão. Era bastante bom e veio de uma das tendas de comida na Asakusa. Mas um pequeno desabafo…sinceramente acho que isto seria melhor com menos molho, não sei se é pelo facto de ser Portuguesa mas não me agrada quando há exagero de molho na comida.

Taiyaki

Taiyaki

Outra coisa que seria impossível ir ao Japão e não comer! Taiyaki é uma sobremesa japonesa famosa recheada de feijão vermelha, embora também existam recheados com chocolate! Adoro como não são demasiado doces e acabadinhos de fazer. Eu e o meu namorado passámos imenso tempo a ver como eles faziam tudo, eram super rápidos, por a massa no molde, adicionar a pasta, por mais massa, e depois andar a virá-los todos rapidamente. Foi super interessante ver este processo, ver como todos os empregados estavam todos sincronizados. Adorei! A loja chamava-se “Naruto Taiyaki Hompo”, também na zona de Asakusa.

Mini Tarte de queijo

Mini cheese tart

Têm um aspecto muito similar ao nosso pastel de nata por isso estava muito curiosa de ver. Na verdade são tartes de queijo por isso bem diferentes do nosso pastel. Apesar de tudo, eram bastante boas. Mesmo assim continuo a gostar mais das tartes de queijo que um amigo meu faz. Fomos à famosa cadeia “Pablo”, a esta pequena loja em Akihabara.

Alguma vez comeram alguma destas coisas? Quais são os vossos favoritos?

Estejam atentos para a próxima parte desta série!

Artesanato Sem Tema – Episódio 2

Artesanato Sem Tema – Episódio 2

Muitos trabalhos em progresso, nenhum concluído! Vídeo Notas deste episódio Tricot Meias Vanilla “How I Make My Socks” Fio “Merino Land” – Rosarios4 Men’s Interchangeable Scarves – Lorna Miser Fio “Merino Extra” – Valeria di Roma   Costura Saco de cordão com dois tecidos diferentes […]

Costurar cuecas “Acacia”

Costurar cuecas “Acacia”

Quando precisei da máquina de costura dos meus pais há uns tempos atrás, foi para fazer umas cuecas, estava a precisar de algumas e queria fazê-las, sempre me fascinou a ideia de fazer as minhas próprias coisas, desde roupa a comida. Quando cheguei à conclusão […]

Como fazer os próprios sacos reutilizáveis de fruta e legumes

Como fazer os próprios sacos reutilizáveis de fruta e legumes

Em 2017, comecei a usar sacos reutilizáveis com o objetivo de usar menos plástico, é algo fácil de executar e tem um grande impacto no ambiente, quantos sacos de plástico usam por semana? Se comprarem uma grande quantidade de legumes e fruta como eu compro, estes sacos começam-se a acumular, daí ter decidido usar estes sacos.

Há uma frutaria que vou praticamente todas as semanas e um dia não tinha sacos de rede suficientes, o dono enquanto pesava a fruta vira-se para mim e diz: “Eu até te oferecia um saco de plástico mas eu sei que não queres”. É interessante como as pessoas começam a notar estas coisas. Noutra frutaria, em que não sou cliente habitual, a senhora que me atendeu disse que eram super giros!

Comprei o meu primeiro pack de sacos reutilizáveis (se estão curiosos por saber onde, comprei no “Panos da Vera” que recomendo) mas desta vez decidi fazer os meus. Como disse na minha publicação anterior, estou muito longe de ser uma costureira experiente mas consegui fazer isto (embora com muitas linhas tortas) por isso acredito que vocês também consigam. Este é um daqueles projetos que não precisa de ficar perfeito, não vale a pena preocuparmos-nos muito com os detalhes.

Tecido de rede

Usei um tecido de rede (daquele usado para fazer calções de banho) para fazer estes sacos. Foi barato, 1€ como retalho na “Feira dos Tecidos”, sinceramente não sei qual é o custo por metro. O I used mesh lining (the kind used to make swim shorts) to make these reusable produce bags. It was cheap, 1€ as a scrap in “Feira dos Tecidos”, I don’t know how much they usually cost per meter. A fita já a tinha, estava em casa dos meus pais e decidi usar, a fita tinha 1cm de largura. Se estão a usar uma fita de largura diferente, basta ajustar a altura do invólucro. Largura da fita + 1cm é suficiente.

Começar por cortar os retângulos, fiz dois tamanhos mas podem aqui inventar como quiserem. Para vos dar uma ideia, as medidas do saco maior e do saco mais pequeno são: 44×30, 40x20cm.

Coser invólucro - saco de rede

Dobrar a parte de cima do tecido, onde querem que a fita passe, cerca de 2cm e usar o ferro para vincar a dobra. Deixando uma margem de 0.5cm, coser, cosendo para trás tanto no início como no fim.

Coser lados abertos - saco de rede

Dobrar agora a meio, direito contra direito, use alfinetes para ser mais fácil de costurar. Cosa nos lados abertos deixando uma margem de 0.5cm, sem coser o invólucro feito no passo anterior.

Depois disto, podem abrir as costuras com o ferro e coser as pontas do invólucro mas eu sinceramente não me dei ao trabalho.

Por do avesso e com a fita presa a um alfinete de dama, inserir o alfinete de dama numa das aberturas e passá-la até à outra abertura.

Sacos de rede - nó apertado

Dar um nó juntando os dois lados da fita.

Saco de rede com fruta

E está pronto! Tenho sempre alguns comigo porque são super leves, alguns na minha mochila do trabalho, outros dois na minha mala, estou sempre preparada!

Digam-me se fizerem estes sacos usando estas instruções! Adorava saber o resultado!

Artesanato Sem Tema – Episódio 1

Artesanato Sem Tema – Episódio 1

A ideia de lançar um podcast sobre artesanato surgiu há umas três semanas e não pude resistir à tentação. Depois de ver o “Stitched in Sweden” e o “Naná Oliveira” fiquei super entusiasmada com este formato que não conhecia. Tenho algumas dúvidas se isto é […]