Sentir sempre a necessidade de ser produtiva

Sentir sempre a necessidade de ser produtiva

Hoje vou falar de produtividade, mais um desabafo que um post de como ser produtiva, desses não faltam pela internet toda.
Considero-me uma pessoa bastante produtiva no trabalho, tenho objectivos a cumprir, metas a atingir, consigo fazer bastante no meu horário de trabalho. YAY!
Agora vamos falar a nível pessoal, fora do trabalho..aí as coisas desmoronam-se um pouco. Não sou produtiva pelo menos não quanto gostaria. O que acontece é: chego ao fim de semana e quero ser produtiva nos meus projectos pessoas, quero cumprir os meus objectivos mas ao mesmo tempo também preciso de descansar, de ver um filme, namorar ou simplesmente relaxar. Aí entra o conflicto.

O meu cérebro diz tens que fazer isto, isto e isto, tens que aproveitar todos os minutos, todos os segundos, não desperdices o teu tempo (por exemplo, é frequente eu pensar, se vou fazer exercício devia levar o mp3 para ser produtiva e ouvir um podcast)! Faço uma pressão enorme a mim mesma e sei que essa pressão não é saudável.
Com esta quantidade de pressão, o que acontece frequentemente? Entro num ciclo vicioso de culpa, sinto-me culpada por ver aquela série/filme, sinto-me culpada por navegar na internet (algo que adoro fazer desde sempre), sinto-me culpada por jogar o meu jogo de telemóvel, qualquer coisa alimenta esta culpa. E toda essa culpa, toda essa pressão faz com que os projectos que com tanto gosto comecei, se tornem fardos que me custam a carregar. Não quero isso.

Acredito que parte dessa pressão vem de ser uma pessoa com múltiplos interesses (em inglês chamam multipotentialite) e isso faz com que compreenda que o meu tempo é limitado. A quantidade de ideias que tenho para projectos distintos mais tudo aquilo que quero fazer, participar no NaNoWriMo, aprender línguas, viajar, é infinito e esmagador. Sei que não vou ter tempo para fazer tudo mas ainda é difícil aceitar isso. É difícil aceitar que por muitas ideias maravilhosas que tenha, só as que eu priorizar e concretizar serão mais que ideias e que não viverão apenas em mim.

Tenho feito algumas melhorias nestes últimos tempos, em priorizar hobbies/projectos (ainda para mais quando vivo muito tempo fora de Portugal) o que já é um grande passo para mim.
Como faço isso? Escrevo tudo o que me vai na cabeça sobre uma determinada ideia num caderno para que essa ideia não me incomode mais, escrever faz com que possa esquecer a ideia, se não o fizer parece que existe uma urgência em fazer tudo agora antes que a inspiração termine.

Todavia é importante focar-me em diminuir a pressão que faço a mim própria, que me consome alguns fins de semana e que torna o final de Domingo um sacrilégio com a Segunda-feira de trabalho a aproximar-se tão rapidamente.
No Sábado passado, estava eu a sentir-me culpada e o meu namorado, que já me conhece, fez um exercício interessante comigo: disse-me a quantidade de coisas que já tinha conseguido realizar este ano. Esta perspectiva ajudou-me a sair do ciclo de culpa porque a realidade é que sim já consegui fazer muito este ano. Um exemplo é ler, este ano disse-me a mim mesma: tens que ler pelo menos 10 livros embora seja bom que leias 20, e sabem até hoje quantos livros já li este ano? 27! Pode parecer algo pequeno mas para mim é bastante importante. Por o ano em perspectiva ajuda.

Sou a única que sente isto? Se não, como lidam com esta necessidade, esta pressão, este sufoco de serem produtivos todos os dias a toda a hora?



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *